Live realizada no último sábado.

Live realizada no sábado no ChuNan.

No último sábado (11/12), a editora MPEG participou de sua primeira live a convite do Chuva de Nanquim (@Chu_Nan). A editora respondeu as perguntas feitas pelo portal e esclareceu algumas dúvidas do público a respeito da nova editora. Para quem está perdido, MPEG é uma nova editora que apareceu no fim de Novembro, com a promessa de dar maior atenção a demografias ‘ignoradas’ ou que tem pouca atenção no mercado (Light Novels, Shoujo, Josei, BL e GL). Abaixo vocês conferem as principais informações passadas:


Antes de começar, importante dizer que estavam presentes na live: Dih (ChuNan) e o Gabriel, dono e fundador da editora.

  • A entrevista começou com a pergunta para o Gabriel de onde veio a ideia, vontade e desejo de abrir uma editora. Ele responde que sempre teve o desejo de consumir os mais diversos títulos e no Brasil. O mercado é muito composto por Shounen, sem muita abertura para demais demografias. Daí a vontade de querer abrir uma editora;
  • Isso era apenas um sonho até no começo desse ano. Ele conseguiu um financiador (um parente) que ouviu e gostou do projeto, resolvendo investir na editora. A partir daí, começaram a tirar a ideia do papel;
  • “MPEG” é uma sigla que faz referência ao nome de alguns familiares do Gabriel, além de ter sido o nome de uma empresa de sua mãe que não existe mais;
  • Perguntaram sobre como reagiram aos comentários negativos feitos quando a editora foi anunciada. Tanto pelo lado de receio do público, como também pelos comentários sem nexo, o Gabriel diz que parte delas foi bem pesada – o que deixou ele meio mal – mas que a outra metade, ele entendeu o que queriam dizer e que pegou essas críticas para melhorar. A editora ainda diz que no lugar do público, eles também ficariam receosos, principalmente pela proposta de focar em demografias que normalmente são ‘ignoradas’ no mercado;
  • Sobre o licenciamento das obras (que é muito difícil para editoras novatas), a editora responde que essa parte inicial é que está sendo mais complicado, pois as editoras japonesas são muito fechadas;
  • A editora diz que estão tentando licenciar obras desde meados de Agosto/2021 e que só foram conseguir contato direto com as editoras do Japão depois que uma editora Norte Americana que indicou a MPEG para algumas editoras nipônicas e que isso ajudou um pouco no contato com elas;
  • A MPEG comenta que a falta de uma primeira publicação interfere muito, pois eles até conseguiram alguns contratos, mas que dentro das cláusulas, é especificado que essas obras não podem ser a primeira publicação deles;
  • Por causa disso, é muito provável que o primeiro título da editora não seja japonês, e sim um europeu. E deve ser um Yuri/GL. Os traços desse quadrinho europeu é mais puxado para o de mangás;
  • Não podem dar detalhes da obra a ser anunciada ainda, mas comentam que devem tentar licenciar mais alguns títulos da mesma editora desse GL. Talvez algum BL;
  • As ‘outras linhas’ que a editora disse que iria trabalhar (além do Shoujo, Josei, BL/GL e Novels) inclui nacionais (que estão analisando propostas), europeus e manhwas;
  • Perguntada sobre a possibilidade de trazer títulos chineses, a editora diz que tem interesse, mas que as licenciantes chinesas são mais criteriosas e há mais cláusulas de contrato. Então pelo menos nesse começo, não devemos ter;
  • Sobre o Shoujo, a editora diz ser uma demografia muito mal explorada no Brasil. Mencionam que há muitas obras que fazem sucesso no exterior e que demonstram ter público no Brasil, mas não chegam aqui. Então a editora quer explorar e dar espaço para elas;
  • A editora está esperando chegar o contrato de um Shoujo de 3 volumes;
  • Também há um Shoujo de volume único em negociação avançada;
  • Sobre a vinda de Light Novels, elas não necessariamente vão ser dentro do ‘espectro’ do Shoujo. Serão mais variadas como shounen e demais demografias;
  • Sobre a recepção das novels, a editora acredita que elas devam demorar mais, porém acreditam que irá dar certo sim;
  • A editora tentou licenciar uma novel famosa, mas outra editora brasileira entrou no leilão, fez proposta e acabou conseguindo a licença (não foi dita a editora, nem o título);
  • A 1ª LN deles está quase licenciada. O Gabriel diz que não é um título tão famoso, mas que é uma das novels favoritas dele;
  • Sobre e-books: a editora diz achar importante, que é um mercado crescente, entretanto no primeiro título, não vamos ter versão digital. Novels, por outro lado, eles acreditam que devemos ter sim publicações nesse formato;
  • Perguntaram sobre a situação econômica do país, como isso vai interferir e influenciar no trabalho da editora: Comentam que é uma influência negativa, principalmente na questão de preços e que impactam diretamente na venda das primeiras obras. Como uma das medidas, eles pretendem dar bons descontos nos primeiros títulos, sobretudo na loja da editora;
  • O papel a ser usado nos primeiros mangás é o Off-set;
  • Acreditam que o preço praticado nos títulos será dentro da média do mercado (R$ 30-35), dependendo muito do título em si, quantidade de páginas, se tem páginas coloridas, etc;
  • De forma geral, pretendem trabalhar a periodicidade de suas obras como bimestral;
  • A gráfica que eles vão trabalhar está definida. Sobre a staff (tradutores, designers, diagramadores…) eles vão trabalhar com freelances inicialmente. Por serem uma empresa nova, acreditam ser a melhor opção. Um dos revisores será um contratado fixo deles. Comentam que a revisão junto a uma tradução de qualidade, são de suma importância e querem evitar que aconteça o mesmo que com ocorreram com outras editoras;
  • O Gabriel não tem formação específica na área editorial. Ele vê isso como uma forma de gerar desconfiança, mas que quando sair o primeiro título, essas dúvidas vão ser sanadas;
  • O site, bem como a Loja Online, devem estar prontos entre o começo e o fim de Janeiro/2022;
  • O primeiro título (volume único) deve ser anunciado em Fevereiro/2022. Terá pré-venda iniciada entre Março e Abril, e o lançamento deve ficar para o 2º Semestre, Agosto ou Setembro. O lançamento era para ser antes, mas por causa da falta de insumos e papel, isso tardou alguns processos;
  • Perguntada sobre o critério de escolha das obras para tentar licenciar, a MPEG diz que vê se a arte é atrativa. Posteriormente vão conhecer o título, saber do roteiro e críticas. E sobre ter anime ou não, eles veem como uma coisa a parte. Tem títulos que sabem que mesmo sem anime vão fazer sucesso, bem como tem casos que mesmo com o anime, a obra não vende, sendo algo que varia de caso a caso;
  • Sobre canais de vendas da editora: além da loja online, eles vão trabalhar com lojas especializadas. E sobre a Amazon, estão conversando com a multinacional para ver como funciona os processos internos da empresa para vender produtos por lá. Bancas, por outro lado, estão fora de questão;
  • Estão vendo questões de logística, como atender a demanda de lojas do Norte/Nordeste, como descontos especiais para lojistas dessas regiões, de uma forma que fique bom tanto para a editora, como para essas lojas;
  • Na loja online, irão oferecer fretes econômicos e descontos especiais para compradores residentes da região Nordeste (PS: não foi mencionada a região Norte, mas é de se imaginar que ela também seja contemplada de alguma forma);
  • Em 2022, a editora espera lançar de 3 ou 4 volumes/obras. Já em 2023, eles esperam começar a publicar títulos UM POUCO mais longo;
  • Estão tentando manter o foco em demografias excluídas do mercado, entre as novels, além do Shoujo, Josei, GL e BL. Eventualmente vão lançar algum Shounen/Seinen, mas não deve ser o objetivo principal;
  • Sobre os títulos indicados para eles nesse começo, disseram que tiraram alguns – os mais curtos – para tentar licenciar, mas que a grande maioria dos sugeridos são obras muito famosas e/ou com muitos volumes (20+);
  • Por fim, o Gabriel diz que a NewPOP (mercado nacional) e Seven Seas (mercado norte-americano) são suas fontes de inspirações para montar sua própria editora;

No demais, foram essas informações. Abaixo tem link da thread que fizemos cobrindo a live no Twitter ^^

Autor

2 thoughts on “Resumo da live da editora MPEG com o ChuNan

Deixe um comentário