Romance colegial com boas sacadas

A Temporada de Verão de 2024 está começando e cá estou eu para comentar alguns dos animes da temporada. O primeiro que vi e um dos primeiros a estrear foi “Tokidoki Bosotto Roshiago de Dereru Tonari no Alya-san” ou como está na Crunchyroll “Alya Sometimes Hides Her Feelings in Russian” (ou como é apelidado pelos fãs, “Roshidere”). Então vamos lá 🙂

Sinopse: “Alya é uma aluna transferida bastante popular em sua nova escola, frequentemente exibindo uma atitude fria enquanto tira notas altas. Ela ignora seu colega nerd, Kuze Masachika, exceto quando solta algumas frases de flerte em russo para ele. Mal sabe ela que Kuze entende russo, embora finja que não. Vamos ver até onde essa história de amor maluca os levará!”


Bem, a obra é uma comédia romântica bem simples e tradicional sobre uma estudante russa que gosta do protagonista e fala seus pensamentos mais vergonhosos em russo achando que ele não entende, quando na verdade ele entende por já ter tido contato com a língua na infância através de uma garota que conheceu (e que não é de se duvidar que venha a ser a Alya mesmo).

Quando digo que é um “romance tradicional” não é dizendo que frequentemente vemos uma garota russa sendo protagonista em anime, mas toda a estrutura envolta da obra é bem comum e isso não é para ser visto como algo ruim, porque pelo menos nesse primeiro episódio, a ideia foi bem executada.

A Alya está naquele espectro da personagem linda, muito popular e pouco acessível, que é desejada e cobiçada por boa parte dos garotos do colégio. No entanto, acaba gostando do protagonista (Kuze) que é absolutamente normal e sem algum motivo aparente, não percebe que a garota gosta dele. Embora ainda não tenham apresentado o motivo, ou melhor, o momento derradeiro para esse amor dela por ele, me soou muito convincente de primeiro momento. Quero dizer, a interação entre os dois é completamente banal e comum, mas é ágil e o diretor soube conduzir as cenas para que seja criada a comédia.

Aqui ela foi luz

A Alya me conquistou logo na primeira cena quando “o garoto mais cobiçado do colégio” (garoto horroroso, por sinal) vai até ela e faz uma investida, a protagonista o rejeita de forma curta e grossa. Ele tenta novamente e ela o rejeita mais duramente ainda num tom bem irônico ainda por cima. Ali eu olhei e pensei: “Diva!”.

Já o Kuze é… o Kuze. É típico protagonista da instituição Shounen de Romance™ e ele faz bem esse papel. Se ele ganha uma graça a mais nisso tudo é graças ao seyuu (que por sinal, está dublando mais DOIS protagonistas nessa temporada), que consegue alternar o tom voz para cada situação para combinar mais com o tom da piada da vez, deixando o humor mais convincente, pelo menos para mim.

Querem me convencer que ISSO…
é mais cobiçado que ESSA fofurinha aqui

*comparação entre o garoto feio e o amigo bonitinho do Kuze*

Há outros personagens de apoio como os dois amigos do Kuze e outras garotas que também são membros do Conselho Estudantil, porém nenhuma dessas personagens ganhou destaque aqui, ficando só de menção ou durante alguns poucos minutos em tela. Pelo que deu para ver, todo mundo ali vai estar dentro de um estereótipo mais tradicionalesco e vamos assistir como ficará na execução. Pelo menos com a Alya funcionou bem agora. Veremos com as demais personagens…

Agora se por um lado o episódio como um todo foi bom, por outro teve um momento que me cansou que foi na reta final. Não é que ele tenha se tornado enjoativo, pelo contrário. Ele seguia muito bem até que, claro, o autor precisou apelar para uma piada de calcinha, que óóó meu deus, para quê? Pela enésima vez a piada do garoto que vê a calcinha da garota deixando-a constrangida e ele fica todo bobão, porque uau, viu uma calcinha… Essa situação dura uns 3-5 minutos quase e passa tão devagar. Não precisava. Enfim, humor e piadas…

Quem dirige o anime é o Ryouta Itou, o mesmo diretor de “Kawaii Dake ja nai Shikimori-san”, que foi lançado há alguns anos e foi produzido pela DogaKobo também. Ele se vira bem com um bom material nas mãos e esse episódio mostra bem isso. E nesse episódio, o Ryouta não só dirigiu como fez o storyboard e escreveu o texto do episódio (ele faz a composição de série do anime), sendo um completo multitarefa aqui. Um sinal não muito positivo e que pode servir de alerta é que o anime estava inicialmente programado para abril desse ano, porém acabou sendo adiado para julho. Na época do adiamento, foi dito que o motivo foi para que a staff pudesse “entregar um anime ainda mais divertido”, mas vale dizer que a DogaKobo também está fazendo “Oshi no Ko” 2 nessa mesma temporada e isso vai exaurir o estúdio. Todo o esforço principal do estúdio vai para lá e não deve sobrar muito para “Roshidere”. O que pode favorecer ele é que, por ser um anime de cotidiano, não exija muito da staff, porém esse atraso inicial não me parece lá um bom sinal.

No entanto, “Roshidere” ainda conseguiu uma lasquinha da equipe por de traz de “Oshi no Ko” 2, já que a OP foi feita pela equipe do anime e o resultado é ótimo! Divertido, criativo, misturando técnicas e estilos de animação com uma ótima execução ^^

Minha única questão com o anime é se ele vai conseguir se sustentar a médio e longo prazo. O @rubnesio gosta da obra, então irei confiar que é pelo menos divertido. O elenco tem outros personagens de apoio, então creio que irão alternar nas dinâmicas e piadas. É aguardar e ver. Por ora, vale a indicação se você procura um romcom basicão. ^^

2 thoughts on “Tokidoki Bosotto Roshiago de Dereru Tonari no Alya-san (Roshidere) #1 – Primeiras Impressões

Deixe um comentário