Sentimentos apostos!

Sentimentos apostos!

Olá queridos! Hoje vou fazer um blocão e comentar dos episódios 2 até o 6 de “Sasaki to Miyano”. No momento que estou escrevendo essa postagem, o anime está no 8º episódio. Decidi não ir até os atuais, pois o episódio 6 para em um ponto interessante e creio que os próximos episódios serão uma virada na trama. Não sei como farei para os episódios finais, se irei comentar os 6 juntos, ou se farei em mais de um post. Verei. Enfim, vamos falar desses 5 episódios ^^.


Lá nas impressões do 1º episódio, comentei que tive a impressão de que o mangá era composto por histórias mais curtinhas, de forma um tanto episódicas e que nem sempre esses segmentos tinham bons cortes. As transições em alguns momentos soavam confusas, pois não parece que um conto havia sido encerrado, me deixando um pouco confuso e perdido, até o momento que eu entendia que havia trocado a situação. Cheguei até a pedir para quem lia o mangá e pudesse me contar como era o original, e de fato o começo da obra original é feito daquelas histórias rápidas, algumas de página única, contendo 4 quadros e formando um acontecimento (semelhante ao que acontece em “Wotakoi”).

Na época também me disseram que esses contos mais isolados eram mais no começo e que com o tempo, a história foi passando a ser mais linear e contínua, o que de fato se concretizou. O que me chama atenção é o quão natural isso vem sendo. O episódio 2 e até o 3 mais ou menos, ainda tem muito desse ar episódico. Mas a partir disso, aos poucos a trama vai tendo partes mais longas e com os eventos mais conexos entre si. Muito da parte de voltar no tempo acontece como um flashback e não como uma história própria que mais para frente viria a se interligar com algo importante do presente. Esses detalhes vão deixando tudo mais envolvente e até dinâmico.

Como eu disse, a passagem desses momentos isolados para algo mais contínuo vai se dando de forma gradual e natural. Mesmo nos episódios “mais recentes”, percebe-se algumas quebras, porém é na casa de três segmentações por episódio, quase um ‘começo, meio e fim’ para algo sendo desenvolvido no capítulo. Acredito que esse daqui é o máximo que veremos nesse sentido, ou no máximo duas partes, a depender do que o anime vai tratar. Vale dizer que mesmo nessas “quebras”, os assuntos seguem relacionados em alguns casos, e quando não diretamente, são falas, momentos e lembranças que juntam esses pedaços. É muito bom mesmo!

Fofo~

Dito isso, as situações envolvendo os personagens continuam ótimas. Vira e mexe comento aqui no blog sobre como eu tenho uma dificuldade enorme em ‘maratonar’ animes (principalmente os bons), sendo algo que sempre atrapalha a ver os animes com episódios acumulados ou que já estão concluídos. Entretanto consegui ver dos episódios 3 ao 6 de uma vez só. Os episódios 3 e 4 de madrugada e os 5 e 6 quando amanheceu. É divertido de assistir, leve e absurdamente agradável de ver. SasaMiya gira em torno de assuntos (ou situações cômicas) relacionados à BL, com a relação romântica dos personagens (no sentindo de entender sentimentos) e no dia a dia deles, conversando com amigos, indo para casa e coisas do gênero. Nesses três temas, a autora (Shou Harusono) consegue trazer uma versatilidade muito interessante para a série e, embora essa proposta inicial seja de andar em círculos até o momento que os protagonistas vão começar a namorar, não acho enjoativo. Eu vi 4 episódios quase que em sequência e não senti cansado ou enjoado. Acho que a forma que ela alterna entre os assuntos de uma maneira em que em um trecho ela trabalha mais o sentimento dos personagens e no outro é focado no cotidiano deles envolto de situações engraçadas que geram um ambiente gostoso de acompanhar.

Ainda assim, não recomendo ver uma grande quantia de episódios de uma vez. Eu, por exemplo, vi quatro episódios e estou fazendo uma pausa para escrever sobre os que assisti. Creio que se tivesse continuado vendo, talvez me sentisse um pouco cansado da série. O mais apropriado é ir assistindo com pausas periódicas. Talvez ver um outro anime depois de uns 2 episódios de “Sasaki to Miyano” seja uma forma interessante de consumir a série (e que o mesmo valha para o mangá).

Ainda acredito que parte dessa versatilidade venha da direção, que está sabendo trabalhar muito bem com o material que tem em mãos. O diretor trabalhou com adaptações em anime de outros mangás shoujo e sabe bem trazer essa atmosfera mais leve, divertida e descontraída sem se perder no momentos de conflito usando os recursos que têm nas mãos. Comentei antes que a produção não parece ter recursos para focar em animação fluida, o que não é necessário nesse caso. A abordagem da série é muito mais voltada a transmitir o que os personagens sentem pelos seus designs. Os quadros quando querem transmitir algo são colocados mais próximos aos rostos, com muitos traços, linhas e sombras, sempre evocando o transbordar de sentimentos, seja de vergonha ou até um lado ciumento, e levemente possessivo como acontece ocasionalmente com o Sasaki.

Mesmo a composição de ambiente contribuem para esses momentos, como o jogo de iluminação para cenas de exposição de sentimentos que os personagens estão mais reflexivos, pensando sobre o que sentem e até chegando em determinadas conclusões sobre o que acabou de acontecer. Ou o uso de flores, brilhos, formas geométricas trabalhadas em cores diversas, que evocam um pouco esse lado do ‘Shoujo Mangá’ para trazer leveza aos momentos de vergonha ou fofura quando os personagens são espontâneos em suas falas e até quando um acha o outro fofo, esboçando reações de surpresa. O gatinho está sendo usado para mover as cenas como recurso de transição e sinalização de que houve uma troca de assuntos, situações ou dias.

Há outros recursos interessantes como trazer toques levemente aquarelados para os cenários, como se brincassem com as cores dos ambientes e “manchassem” algo que era para ser mais “sólido”, sem essa invasão das cores e trazer uma carga sentimental de acordo com a situação. Os cenários que simulam pinturas à mão como os girassóis que aparecem vez ou outra, as árvores e flores de cerejeira, bem como cenários em específicos que ajudam a compor um ambiente mais amigável e leve. Enfim, percebam que são todas decisões criativas que, embora não conversem diretamente com o roteiro (texto), elas ajudam a compor momentos e que tornam a série fluida e gostosa de assistir, aliado a um storyboard maravilhoso que se sobressai em alguns episódios, como foi com o 2º.


Para mim, o Sasaki segue sendo o melhor personagem da série. As interações dos personagens são ótimas. Os protagonistas tem seus charmes e o elenco de apoio é igualmente bom, mas tem algo no Sasaki que o faz o melhor do elenco, que creio ser o maior destaque na sua personalidade. Apesar da história ser em suma do ponto de vista do Miyano, dos amigos dele e tudo mais, a narrativa parece mais focada em usar o personagem para explorar o Sasaki na compreensão de seus sentimentos amorosos por ele. Toda a maneira que alternam entre os pensamentos dele, o que é ou não verbalizado, a maneira de se comportar diante do Miyano, tal qual o seu processo de compreensão e aceitação, é bom e envolvente. Sério, acho maravilhoso como quase tudo acaba envolvendo o Sasaki e o que ele sente e pensa. A forma que isso é feito na história é perfeito! Gosto demais do personagem e dele ser espontâneo, atrelado a tentar “se segurar” perto do Miyano é precioso, ouro puro!

Quanto ao Miyano, vamos percebendo uma evolução do personagem por causa do Sasaki – e isso diz muito do motivo de eu gostar do personagem – dado que a progressão da história gira em torno dele. No começo ele era bem mais retraído, mesmo com os amigos parecia falar menos. Aos poucos isso foi sendo mudado. Antes o protagonista tinha muito medo das pessoas descobrirem que ele era fudanshi e falar de BL em público era quase que impossível. Agora com o Sasaki, ele conversa mais, tem momentos que discute sobre BL enquanto anda nos corredores da escola, coisa que o personagem não fazia e chamava o Sasaki para algum local mais isolado, assim como batem papo no transporte público. E até com quem ele tem menos intimidade, como é o caso do amigo do Sasaki, o protagonista está conseguindo dialogar melhor. O Miyano tem alguns complexos com a aparência (coisa que finalmente está sendo abordado) e quando o Sasaki comenta no impulso que gosta de seu rosto, isso mexe com ele por ser algo que o incomoda. Mesmo esses dramas não duram muito. São legais e trazem uma leve mudança de clima, um ar de novidade, tentando chamar maior atenção do público.

Na questão do progresso do relacionamento do Sasaki com o Miyano, confesso que esperava que fosse demorar um pouco mais para os personagens reagirem. O Sasaki desde cedo tinha chego ao entendimento de que ele estava apaixonado pelo Miyano. Vez ou outra deixava escapar ‘pseudo’ declarações para ele e a declaração oficial acabou vindo antes mesmo da metade do anime. É interessante também pelo ponto de que mesmo sendo um shoujo “”mais tradicional”” (leia com muitas aspas) no sentido de evolução da relação amorosa, a obra caminha até que rápido. Eu percebo que os shoujos que vem sendo feitos de alguns anos para cá tiveram essa mudança de progressão narrativa. E bem, como comentei lá no começo, decidi falar até o 6º episódio nessa postagem, porque pela forma que terminou, estamos prestes a entrar no ponto crucial da série. O Miyano está quase lá no que se diz a aceitar e se dar conta de que gosta do Sasaki. E o Sasaki já está bem resolvido. Logo, não deve demorar para o namoro acontecer de fato. Daqui para frente, devemos ter esse “confronto” e a passagem de amigos para namorados, mudando um pouco a série em si.

E no demais, tem histórias mais isoladas focadas nos amigos dos personagens principais que são bem legais. O elenco de apoio é muito bom e divertido de acompanhar. O amigo do Sasaki com problemas com a namorada é ótimo! Achei que o Hirano e o Kagiura fossem ter maior visibilidade na história em alguns momentos, mas o Kagiura nem apareceu mais. De fato parece que eles realmente só vão aparecer no spin-off deles (Hirano to Kagiura), este que não tem anime e que espero que façam uma adaptação no futuro.

A lenda tem bom gosto!!!

Concluindo, estou adorando o anime. Os personagens e suas interações são ótimas, a direção e staff estão fazendo um trabalho muito competente. Espero que eles não enfrentem problemas de produção, embora corra por aí que estão tendo dificuldades por conta do alto nível de detalhes dos cabelos. Ansioso para ver como ficará essa segunda metade da animação. Adorei tanto a obra que até comprei a edição francesa. Estou só esperando lançar na França e chegar para mim ^^.

Não estava nos meus planos comentar mais episódios de Sasaki to Miyano no blog. Eu só ia voltar para a review. Entretanto, como vi uma pessoa falando que gostaria que mais sites comentassem sobre o anime, resolvi fazer esse post. Espero que tenham gostado e até a próxima!

Sasaki gato, gostoso!!!

Autor

Deixe um comentário