A história de um fudanshi tímido e seu veterano, que acaba se apaixonando por ele :)

Chegamos em Junho e como deve ter dado para notar, o mês passado também não teve postagem de apresentação. Mês corrido, uma série de decepções a nível pessoal e algumas crises ocasionais, foram os grandes motivos por trás disso, mas também teve um fator de que, apesar de muitos mangás aqui, eu não conseguia pensar em um que realmente quisesse escrever aqui. Pensei em escrever sobre “You’ve Gotta Love Song”, “FANGS” e até “Le petit monde de Machida” (Machida-kun no Sekai). O tempo passou, passou, e quando vi, já era o fim do mês :’) . MAS, junho é o Mês do Orgulho LGBTQIA+. Por que não juntar o útil ao agradável? Pensando nisso, tentarei apresentar 3 títulos LGBT+ neste mês! Pode ser que no fim das contas eu não consiga, afinal meu planejamento é horrível. Eu levo muito tempo para escrever, e para piorar, junho é bem o mês que volto a ter aulas na universidade. Mas irei tentar o máximo possível para que dê tudo certo :).

“Sasaki et Miyano” é publicado no Japão sob o nome “Sasaki to Miyano” (佐々木と宮野). A obra é um mangá Shoujo escrito e ilustrado por Shou Harusono. Começou a ser publicado inicialmente na internet como pequenas tiras sobre o cotidiano do casal principal. O sucesso foi tanto que em 2016, ganhou uma publicação profissional na revista Pixiv Comic, da editora KADOKAWA. Está em andamento no Japão com 8 volumes e o 9º encadernado está previsto para 27 de Julho. Sasaki possui um spin-off chamado “Hirano to Kagiura” (ノベル 平野と鍵浦), que nasceu como uma novel lançada entre 2018 e 2020 pela Media Factory, e que ganhou adaptação em mangá, sendo lançada na revista Shoujo Monthly Comic Gene desde 2019, possuindo 3 volumes lançados até o momento. No começo desse ano, “Sasaki to Miyano” recebeu uma adaptação em anime exibida entre janeiro e março, tendo 12 episódios ao todo. Junto do lançamento do volume 9 do mangá, terá uma edição especial que inclui um OVA com o episódio 13. E além disso, um novo projeto em anime está em desenvolvimento (não foi especificado o formato), mas sem data de lançamento.

“Hirano to Kagiura” e “Sasaki to Miyano” na capa da edição de Março/2022 da Comic Gene, lançada em Janeiro de 2022.

Para falar do mangá, estarei utilizando como base os 2 primeiros volumes da edição francesa, lançada pela Akata. Mas é importante dizer que a obra foi licenciada no Brasil recentemente pela Panini (leia mais aqui).


Na história de “Sasaki to Miyano”, conhecemos o Miyano, um jovem estudante tímido, fã de mangás BL (Boy’s Love) e que tem complexos com relação aos traços femininos que possui. E do outro lado, temos o Sasaki que é tido como um típico delinquente juvenil. O encontro dos dois acontece quando Miyano estava prestes a tentar separar uma briga que seu amigo estava envolvido. O Sasaki fica deveras fascinado com as costas do Miyano e vai lá ajudar. A partir desse encontro não muito agradável dado a situação, o Sasaki passa a criar interesse no seu calouro, e a querer conhecer mais dele, sobre o que ele faz, o que gosta…

“Olá, deixe isso comigo… eu vou os acalmar”

Por a obra ter começado a ser lançada em tirinhas no Japão, vemos muito dessa mescla na obra. Não sei se o mangá segue essa estrutura (parte do capítulo no formato de 4 quadros e parte em formato tradicional) até os volumes atuais, mas ela é bem recorrente nos primeiros encadernados da série e a autora domina as transições de narrativas com maestria, diga-se de passagem. E por sinal, as tirinhas são sempre muito boas. A execução delas são muito divertidas, e em muitas vezes, o título que acompanha a charge no rodapé das páginas, funcionam como uma piada por si só, ou fecham com chave de ouro a piada sendo contada. Essa parte normalmente acontece na introdução dos capítulos, dando um contexto geral do que deve ser tratado nas páginas, para depois vir a parte do enredo, tendo uma linearidade até encerrar o que está sendo narrado no capítulo. Neste início, os capítulos têm uma tendência um pouco mais episódica, com eventos mais pontuais, porém que se interligam de alguma forma e dão prosseguimento à narrativa e desenvolvimento dos personagens da série. Vale dizer também que o tempo passa bem rápido no mangá. No primeiro volume, por exemplo, temos o período de meio ano aproximadamente. Isso provavelmente se deve a obra ter sido iniciada como 4-koma na internet. Não é à toa que no 2° encadernado, o período de tempo (em meses) acaba sendo menor. Creio eu, visto a quantidade de volumes já publicados, que a cada volume, esse espaço de tempo seja menor.

Tenho para mim que, apesar do protagonista ser o Miyano, essa é uma história muito mais sobre o Sasaki do que o outro personagem propriamente. O Miyano é bem resolvido com aquilo que gosta. Suas características e interesses já são postas rapidamente. Ele acaba sendo mais próximo de uma parcela do público por seu gosto voraz por BLs, o que para quem está acostumado com a demografia, acaba sendo muito familiar e ajuda a simpatizar com o personagem, vide não falar de BL com muita gente, ser cauteloso ao portar algum mangá do gênero em locais públicos, ler escondido… Mesmo que o Brasil não permita tanto esse tipo de situação pelo nosso mercado não ser tão forte quanto o japonês, da para se colocar numa ótica de que você poderia passar, pensar e agir da mesma forma se estivesse no lugar dele: “Nossa, eu me comportaria igualzinho”. Ou você entraria em desespero caso alguém fora do meio BL descobrisse seu gosto e você estivesse ouvindo um Drama CD com uma cena porn naquele momento?

Eu digo que essa é uma história sobre o Sasaki, pelo menos nesse começo, por o olhar desse ser de alguém completamente alheio a BL. Por isso ele acaba sendo um personagem bem mais interessante de se observar e de acompanhar suas reações. O Sasaki é um garoto que bateu o olho no Miyano e gostou dele. Ele tem muito daquela energia de pessoa que quer saber o que o crush gosta. Sabe quando você aprende algo novo e quer contar para as pessoas? Ou aquela “magia” de ver alguém que gostamos, falar tão empolgado de algum assunto, mesmo que não tenhamos entendimento pleno do que se trata? O Sasaki traz muito disso consigo, o que faz o mangá bem mais gostoso de acompanhar. E há toda uma graça em ver essa “pessoa de fora” querendo conhecer mais de BL. Os “procedimentos” que são padrões para o Miyano, estão muito distantes para o Sasaki, o que torna a interação dos dois maravilhosa. Algo que realmente me encanta nesse começo do mangá é o processo de compreensão do Sasaki quanto a gostar do Miyano. Ele fica muito fascinado e ao mesmo tempo acha estranho o comportamento dele, no sentido de “por que estou sentindo isso?”, o que é muito fofo e divertido de ler.

O que é… esse sentimento ?”

Gosto que a autora traz o Sasaki naquele estereótipo de delinquente juvenil, mas ele é super fofo e atencioso, principalmente com o Miyano. O Miyano por sua vez precisa ali se moldar para se misturar com demais, não chamar tanto atenção por causa do seu complexo com sua aparência e por ler BL. A autora trabalha com esse lado de se aceitar como é, com seus gostos e os preconceitos que criamos das pessoas. É um mangá super leve sobre a descoberta do primeiro amor, que pode despertar medos, receios, mas também o lado bom desse sentimento ^^.

As vezes a obra pode ser bem intensa também hahaha

Há outros personagens de apoio como os amigos dos protagonistas, porém, no geral, a história é bem fechada nos dois protagonistas. Temos interações paralelas ao casal e no espectro de mostrar um pouco da rotina escolar deles (provas, eventos escolares, dia de frio ou calor…) e formar algumas piadas esporádicas. Como a história é bem concentrada neles dois, são poucas vezes que o Sasaki e o Miyano não estão juntos. Quando conheci a história pelo anime, achei que veríamos mais do Hirano e do Kagiura, mas não ocorreu. Eles são bem de escanteio e a autora trabalha o relacionamento dos dois no spin-off deles. No mangá, esses dois tem um pouquinho mais de espaço, entretanto não muda muita coisa. Não acho isso ruim, porque a autora não usa eles apenas para preencher espaço. Ela estabelece personalidade para cada um deles e a maneira que ela conduz tudo, é bem agradável e divertido ^^.


Quero dar ênfase na arte da autora. Eu acreditei que pelo menos nos primeiros volumes, teríamos uma arte mais simples tendo em vista que era o primeiro trabalho dela, mas foi o contrário. Logo no encadernado de estreia, temos páginas absurdamente lindas. Eu gosto muito dos designs dela no geral, mas o que acho maravilhoso mesmo é a maneira que ela faz o cabelo do Miyano. O esquema de luz e sombra, misturado com as retículas que ela usa, formam uma composição absurdamente bela. As páginas que ela desenha um único quadro e os ângulos utilizados também criam páginas excelentes. Quando ela faz página dupla (como a de parágrafos acima), também temos sequências primorosas! O desenho dela é bem expressivo e consegue transmitir muitas impressões prévias dos personagens, como o Sasaki que tem toda aquela aparência de delinquente, mas que é um completo fofo ao mesmo tempo que tem aquela energia de “não encosta no que é meu que eu fico bravo”. É fabulosa. Além disso, as páginas coloridas que a autora faz são perfeitas! Não gosto tanto da capa do volume 1, mas do 2º em diante é uma melhor que a outra (minha favorita é a do volume 7). Fico muito curioso para ver o quanto a arte dela evoluiu ao longo da publicação do mangá.


“Sasaki to Miyano” é uma obra bem simples sobre essa descoberta de amor estudantil. Nada que você já não tenha visto por aí em algum mangá, principalmente em shoujo. Se você está no clima certo e entende o que a obra está se propondo, não há nada mais gostoso do que um bom romance água com açúcar (muito açúcar) para acalentar corações, sendo uma excelente pedida para se consumir em uma tarde pacata. E toda essa atmosfera que shoujo tem, é algo que me agrada bastante. Traz uma levada muito boa e leve, que eu adoro. Meu francês não é dos melhores e acabei levando 1 mês para ler o volume 1 de “Sasaki to Miyano”. Mas mesmo tendo uma leitura tão espaçada, continuou excelente e eu não esqueci dos eventos. Pode ser interessante consumir a obra aos poucos. Não tão espaçado quanto eu fiz, mas lendo um capítulo por dia, pode tornar a experiência com a obra ainda mais agradável :).

Fica a nossa recomendação da obra, seja para a ocasião do Mês do Orgulho, como para o Dia dos Namorados, ou para uma recomendação de leitura para algum dia mais tranquilo e que você precise de algo leve para ler. Espero que tenham gostado do post e reforço que “Sasaki to Miyano” é uma obra perfeita para quem nunca leu um mangá com relacionamento homossexual, ou está começando a se aventurar em obras desse perfil. Também vale reforçar que a Panini licenciou a obra no Brasil e ela começará a lançar o mangá em Outubro/2022. Nos vemos na próxima postagem de recomendação. Abaixo tem um vídeo mostrando o volume #1 do mangá em francês.

Autor

Deixe um comentário